História da Escola Secundária Manuel Cargaleiro

A Escola Secundária Manuel Cargaleiro localizada no Fogueteiro, freguesia de Amora, concelho do Seixal foi criada em 1984 pela Portaria nº 846/84, publicada no Diário da República, I série, nº 255, de 3 de novembro de 1984 e, iniciou as suas atividades letivas, no dia 25 de novembro de 1985, com o nome de Escola Secundária do Fogueteiro.

Começou a sua atividade com turmas do curso unificado, mas com a publicação do Despacho nº 184/MEC/86 iniciou-se a 2ª fase de construção que permitiu a abertura dos cursos complementares no ano letivo de 1987/88.

No ano letivo de 1989/90 foram criados o 12º ano e os cursos noturnos (extintos entretanto).

O pavilhão gimnodesportivo começou a ser construído no ano letivo de 1994/95.

Em 25 de novembro de 1984 com a publicação do Despacho nº 35/SSEAM/94, coincidindo com a comemoração do  9º aniversário a Escola passou a designar-se Escola Secundária Manuel Cargaleiro em homenagem ao artista plástico reconhecido nacional e internacionalmente que passou alguns dos seus anos de infância e juventude no Fogueteiro, na rua próxima da escola, e onde teve o seu primeiro atelier.

Continuar a ler

Patrono

Manuel Alves Cargaleiro, nasceu a 16 de março de 1927 em Vila Velha de Ródão, distrito de Castelo Branco – Portugal. É lá que fica o berço dos seus antepassados: os Ribeiro, Fernandes, Mendes, Alves e Cargaleiro que geração após geração, viveram da agricultura.

Manuel Cargaleiro ainda não tinha feito dois anos quando o pai, resolve vender as terras no distrito de Castelo Branco para se instalar no Monte da Caparica, próximo de Lisboa e do mar, para se ocupar da Quinta da Silveira de Baixo. Passa a representar um papel importante no mundo agrícola. Pioneiro das técnicas modernas, torna-se conselheiro do distrito para tudo o que diz respeito à diversificação das culturas nas pequenas e grandes unidades agrícolas.

É no Monte da Caparica que Manuel Cargaleiro passa a sua infância e a sua adolescência e é aí que nasce o seu gosto pela terra, pelas plantas, pelas flores e pelas cores.

Continuar a ler